"Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem...
O ato de ver não é coisa natural. Precisa ser aprendido.
Quando a gente abre os olhos,
abrem-se as janelas do corpo,
e o mundo aparece refletido dentro da gente.

Aprendemos palavras para melhorar os olhos.
As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor".

(Rubem Alves)

sexta-feira, 30 de março de 2012

Como toda mulher

                                                                                             Foto: Rômulo Diniz




"Quem você pensa que é?
perguntou pra mim de queixo em pé...
Sou forte,
fraca,
generosa,
egoísta,
angustiada,
perigosa,
infantil,
astuta,
aflita,
serena,
indecorosa,
inconstante,
persistente,
sensata e corajosa,
como é toda mulher,
poderia ter respondido,
mas não lhe dei essa colher. 






                                                                                                                                      (Martha Medeiros)

quarta-feira, 28 de março de 2012

Mar e Sol

                                                                                       Foto: Margareth Muniz




Um Sol
Eu sou
Para o seu mar, ó meu amor;

Você
O mar é
Para o meu Sol, para eu me pôr;

Me pôr
Em você,
Me espelhar, me espalhar;

Meu Sol
De arrebol
Deitar no leito de seu mar -

E entrar em você,
Em você queimar, arder;
Em você tremer, em você,
Em você morrer, morrer.

Um só,
Um nó
De fogo e água, terra e céu,

A sós,
Somos nós,
De corpo e alma, você e eu;

E eu
A descer,
A desnascer, desvanecer;

A ser
Em você
Um Sol a se dissolver -

Depois,
Nós dois,
Olhos nos olhos, vis-à-vis,

Nos seus
Olhos meus,
Me vejo no que vejo ali;

Ali,
Eu-você,
Olho no olho a se espelhar,

Amor,
Sem temor,
Olho o que eu olho me olhar -

Ao entrar em você,
Em você queimar, arder;
Em você tremer, em você,
Com você morrer, morrer.

Paixão de fogo de paixão
De fogo de paixão
De fogo de paixão,
Em que me afogo de paixão
Me afogo de paixão
Me afogo de paixão


(Gal Costa)

O ato de ver

                                                                                         Foto: Margareth Muniz




Ver é muito complicado. 
Isso é estranho porque os olhos, 
de todos os órgãos dos sentidos, 
são os de mais fácil compreensão científica. 
A sua física é idêntica à física ótica de uma máquina fotográfica:
o objeto do lado de fora aparece refletido do lado de dentro.
Mas existe algo na visão que não pertence à física. 
William Blake sabia disso é afirmou: 
“A árvore que o sábio vê não é a mesma árvore que o tolo vê”.
Sei isso por experiência própria. 
Quando vejo os ipês floridos sinto-me como Moisés, 
diante da sarça ardente: 
ali está uma epifania do sagrado. 
Mas uma mulher que vivia perto da minha casa 
decretou a morte de um ipê que florescia à frente de usa casa,
porque ele sujava o chão, dava muito trabalho para a sua vassoura.
Seus olhos não viam a beleza. Só viam o lixo.



(Rubem Alves)

segunda-feira, 26 de março de 2012

Mistério do Sem-fim

                                                                             Foto: Margareth Muniz



No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,

e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o sem-fim,

a asa de uma borboleta


Cecília Meireles

Desapego

                                                                              Foto: Margareth Muniz





"Coragem, às vezes, é desapego (...).
É aceitar doer inteiro até florir de novo. 
É abençoar o amor, 
aquele lá, 
que a gente não alcança mais."



Ana Jácomo

domingo, 25 de março de 2012

Mensagem

                                                                                        Foto: Margareth Muniz


"Você nasceu no lar que precisava nascer, 
vestiu o corpo físico que merecia, 
mora onde melhor Deus te proporcionou, 
de acordo com o teu adiantamento.
Você possui os recursos financeiros coerentes com tuas necessidades... 
nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Seu ambiente de trabalho é o que você elegeu espontaneamente para a sua realização.
Teus parentes e amigos são as almas que você mesmo atraiu, com tua própria afinidade.
Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.
Você escolhe, recolhe, elege, atrai, busca, expulsa, 
modifica tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes. 
São as fontes de atração e repulsão na jornada da tua vivência.
Não reclame, nem se faça de vítima. 
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograma tua meta, busca o bem e você viverá melhor.
Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, 
qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."


Chico Xavier

quinta-feira, 22 de março de 2012

Retratos Poéticos: Eu e água

Retratos Poéticos: Eu e água

Eu e água

                                                                                      Foto: Margareth Muniz




A água arrepiada pelo vento
A água e seu cochicho
A água e seu rugido
A água e seu silêncio

A água me contou muitos segredos
Guardou os meus segredos
Refez os meus desenhos
Trouxe e levou meus medos

Grande mãe me viu num quarto cheio d'água
Num enorme quarto lindo e cheio d'água
E eu nunca me afogava
O mar total 
E eu dentro do enterno ventre
E a voz de meu pai, 
voz de muitas águas

Depois o rio passa
Eu e água, eu e água, eu...

Cachoeirinha,
 lago, 
onda, 
gota
Chuva miúda, 
fonte,
 neve,
 mar

A vida que me é dada, 
eu e água


(Maria Bethânia)

quarta-feira, 21 de março de 2012

                                                                                          Foto: Margareth Muniz



As vezes ouço passar o vento;
 e só de ouvir o vento passar,
 vale a pena ter nascido.


Fernando Pessoa
                                                                              Foto: Margareth Muniz




De quantas graças tinha, a Natureza

De quantas graças tinha, a Natureza

Fez um belo e riquíssimo tesouro,
E com rubis e rosas, neve e ouro,
Formou sublime e angélica beleza.

Pôs na boca os rubis, e na pureza

Do belo rosto as rosas, por quem mouro;
No cabelo o valor do metal louro;
No peito a neve em que a alma tenho acesa.

Mas nos olhos mostrou quanto podia,

E fez deles um sol, onde se apura
A luz mais clara que a do claro dia.

Enfim, Senhora, em vossa compostura

Ela a apurar chegou quanto sabia
De ouro, rosas, rubis, neve e luz pura.


Camões

Ode à Alegria

                                                                                     Foto: Margareth Muniz



Alegria
Bebem todos os seres
No seio da Natureza:
Todos os bons, todos os maus,
Seguem seu rastro de rosas.


Friedrich von Schiller

terça-feira, 20 de março de 2012

Do casulo às asas

                                                                                        Foto: Margareth Muniz



  Impossível devolver a linha ao novelo 
depois que a consciência já teceu novos caminhos.
 Existem portas que se desmancham após serem atravessadas, 
como sonhos que se dissolvem ao acordarmos. 
Não há como retornar ao lugar onde a nossa vida dormia antes de cruzá-las. 
Da estreiteza à expansão. 
Da semente à flor. 
Do casulo às asas, nos ensinam as borboletas.



Ana Jácomo

domingo, 18 de março de 2012

Criar laços...

                                                                                       Foto: Margareth Muniz




Que quer dizer "cativar"?
-  É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. 
Significa "criar laços"...



(Trecho do livro "O Pequeno Príncipe", de Saint-Exupéry)

sábado, 17 de março de 2012

Sobre cativar...

                                                                                       Foto: Margareth Muniz




Eu não tenho necessidade de ti.
E tu não tens necessidade de mim. 
Mas, se tu me cativas, 
nós teremos necessidade um do outro. 
Serás para mim único no mundo. 
E serei para ti única no mundo.



Antonie Saint-Exupéry

terça-feira, 13 de março de 2012

Contemplação do simples...

                                                                                        Foto: Margareth Muniz



Simples é a vida.
Simples é o tempo.
A silhueta da serra,
é simples visão.
Simples também é o chão.
Simples é o coração.
Caminho de todos em um,
e o um é simples.
Simples é o todo.
O tudo é simples.
Simples é o fogo,
que queima simples,
e simples faz mover o sentimento.
Simples é o momento.
O instante, simples pensamento.
Simples é o vento.
A brisa é simples.
A palavra é simples.
O ouvir está na arte,
de falar o que é simples.
Simples é o passo.
Simples é o traço.
Simples é o compasso.
Simples é o espaço,
e nós nele, simplesmente.
Simples é a semente.
A vida em mim,
procurando ser simples.
Simples é a poesia,
que na forma de ser simples,
de tão simples irradia.
O simples, é todo dia.
O simples, evidencia
o simples.
Júnior Darico

segunda-feira, 12 de março de 2012

O que prevalece...

                                                                                        Foto: Margareth Muniz




O que prevalece agora é essa maneira nova de sentir a vida.
Essa perspectiva que me faz admirar, incansáveis vezes,
 antigas preciosidades.
Essa vontade de bendizer tantas maravilhas.
Esse sentimento de gratidão pelas coisas mais simples que existem.
Esse jeito mais amigo de ouvir meu coração.
O que prevalece agora é essa apreciação mais desperta,
que me permite reinaugurar flores e céus e pessoas no meu olhar.
Essa graça que encontro, de graça, nos detalhes mais singelos.
O que prevalece agora é a confortável suposição de que,
 por trás de tantas e habituais nuvens, 
esse contentamento faz parte da nossa natureza.
Os problemas, os desafios, as limitações, não deixaram de existir.
 Deixaram apenas de ocupar o espaço todo.




Ana Jácomo

Paciência...

                                                                                        Foto: Margareth Muniz




"PACIÊNCIA:
o intervalo entre a semente e a flor."



Ana Jácomo

quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulher

                                                         Foto: Margareth Muniz



Eu sou o vento que nas nuvens
vasculha o céu e faz trovoar
Eu sou o vento ora tão forte, ora enfraquece
Meu corpo não tem forma alguma
Não posso ver, não posso falar
Só sei que empurro algumas coisas...
E essas coisas...
Ah! Se eu pudesse ver
O céu, o seu corpo e o mar
O meu sentimento é maior
Que o seu que é sorrir e chorar
Mulher carrega o mar na barriga
Mulher carrega o oceano também
Mulher,
eu sou,
você também é 
Mulher




(Mariene de Castro)

terça-feira, 6 de março de 2012

Rastros

                                                                              Foto: Margareth Muniz




Rastro de flor e estrela,
nuvem e mar.
Meu destino é mais longe
e meu passo mais rápido:
a sombra é que vai devagar.



Cecília Meireles

Flores

                                                                                       Foto: Margareth Muniz





Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo o que eu vejo




(T. Bellotto, S. Britto, C. Gavin e P. Miklos)